quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Aiê Orum apresenta espetáculo Afrobrasilidade

Texto: Helciane Angélica (com informações dos organizadores)
Foto: Amanda Costa


A Cia de Teatro e Dança Afro Aiê Orum apresentará o Espetáculo AFROBRASILIDADE nos dias 7 e 9 de dezembro, às 19h, no Centro Cultural Arte Pajuçara (Av. Dr. Antonio Gouveia, 1113, Pajuçara) em Maceió. 

Trata-se de um espetáculo de rua e de palco que trabalha a arte da contação de história acrescentando o trabalho gestual do corpo na dança, movimentos das expressões afro, batuques e a entoação de cânticos. 

Com duração aproximada de 60 minutos, proporciona para seus espectadores entretenimento e informação, além de trazer a reflexão sobre o pertencimento étnico e o respeito às heranças afrobrasileiras. 

Fruto das pesquisas realizadas pelo grupo afro em seu processo de montagem, aborda a luta da população afrodescentente no Estado de Alagoas por liberdade, igualdade e justiça social. Destaca-se a importância do Quilombo dos Palmares como maior símbolo de resistência negra e seu grande líder “Zumbi dos Palmares”, assim como, o episódio de intolerância e perseguição religiosa conhecido por “O Quebra de Xangô”, ocorrido em fevereiro de 1912, onde religiosos foram reprimidos, espancados e os direitos violados de cultuar seus orixás.

A ação integra a programação do Projeto Pauta Aberta idealizado pela Fundação Municipal de Ação Cultural de Maceió (Fmac); o grupo afrocultural contou com o apoio da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal), Lojas Imperador e Restaurante Nalu.


Ficha Técnica:
Direção Geral e Coreográfica: Diego Bernardes Ayraiberu

Cenografia, Figurino e Maquiagem: Diego Bernardes Ayraiberu, William Maxwel e Sunnamitha Santos
Iluminação: Edner Careca
Preparação Vocal: Jailson Natividade
Sonoplastia: Dalmo Almeida e Sergio Santana
Elenco: Adda-Nari Sussuarana, Ana Noronha, Ana Toledo,Cláudio Nery Abu, Débora Gomes, Diego Bernardes Ayraiberu, Eduardo Vyanna, Eliane das Neves, Fabricia Alves Grace Kelly Sansilva, Hannah Loreena Sansilva, Hylmara Santana, Isa Rocha, Jailson Natividade, Maria Celia Moraes, Nedja Barros, Sandreana Melo, Sunnamitha Santos e William Maxwel
Participação especial: Wilson Santos
Produção: Orum Assessoria e Produções de Eventos / Keka Rabelo Comunicação e Assessoria Cultural


Ingressos: R$10 (dez reais).
Contatos: (82) 98815-0638 / 99957-7880 / aieorum.teatrodanca@hotmail.com.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Festa das águas 2016

Há nove anos é montada uma infraestrutura exclusiva para a Festa das Águas no dia 8 de dezembro, na Praça Multieventos, na orla da Pajuçara em Maceió. 

A celebração cultural e religiosa exalta o Dia de Iemanjá: matriarca da religiosidade afro brasileira, a divindade africana das águas salgadas, dos mares e oceanos; orixá protetora dos pescadores e senhora dos lares, que traz paz e harmonia para toda a família.

Durante todo o dia, caravanas de religiosos(as) de matrizes africanas de todo o Estado de Alagoas prestam homenagens e entregam suas oferendas, sob os olhares de admiradores e turistas. A data também é um símbolo de resistência, pertencimento étnico, luta pelo respeito à liberdade de culto e combate todas as formas de preconceito à religiosidade de matriz africana.

Confira a programação completa:
8:00 - Xirê de casas religiosas da Zona da Mata
9:30 - Rodas de Capoeira
10:30 - Grupo Thembá
11:00 - Projeto ZUMBI E MANINHA XUCURU KARIRI - Oralidade e Cena Negra Toni Edson
11:30 - Performance de Dança - Cepa Quilombo
12:00 – AfroMandela
12:30 - Rogério Dyas e a Trincheira
13:00 - Grupo Afojubá
13:30 - Grupo Afro Zumbi
14:00 - Afoxé Ofáomin
14:00 – Cortejo das águas em direção à MultiEventos – Carreata contra a Intolerância Religiosa com concentração às 14h no Grupo União Espírita Santa Bárbara (GUESB) localizado na Rua São Pedro n10, Village Campestre 2
15:00 - Xirê do Ilê Axé Legionirê - Bela Vista, Benedito Bentes 2
16:30 - Orquestra de Tambores de Alagoas
17:00 - Chegada da carreata contra a intolerância Religiosa na Praça Multieventos
17:30 - Naná Martins e Banda
18:00 - Maracatu Raízes da Tradição - Abassá de Angola de Oyá Igbalé
18:30 - Banda Afro Afoxé
19:00 - Afoxé Povo De Exu
19:30 - Coletivo Maracatod@s
20:00 - Coletivo AfroCaeté
20:30 - Mel Nascimento
21:00 - Banda Nação Palmares.

Esse momento de celebração e integração sociocultural, é o resultado de vários encontros entre as lideranças dos segmentos afros, sendo construída de forma democrática e coletiva. O evento é uma realização da Articulação pela Cultura Popular e Afroalagoana; com o apoio da Fundação Municipal de Ação cultural (FMAC)/Prefeitura de Maceió; e Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult) do Governo de Alagoas.

Mais informações: (82)99632 6584 / 98823 3824 / 98845 4068 / https://www.facebook.com/festadasaguasmaceio/?fref=nf


Fonte: Coluna Axé - 420ª edição – Jornal Tribuna Independente (06 a 12/12/16) / COJIRA-AL / Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Cojira/AL - nove anos

Na última quinta-feira, 24 de novembro, a Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (COJIRA-AL), vinculada ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas, completou nove anos de atuação e a exaltação das questões étnicorraciais em diversos setores; produção de notícias, encartes afros especiais, blog temático e a indicação de fontes para veículos de comunicação. 

Ao longo desses anos, a Coluna Axé – espaço gentilmente cedido pelo Jornal Tribuna Independente – vem cumprindo um papel importante em defesa dos direitos da população negra da terra de Zumbi dos Palmares, como um projeto de comunicação que busca contribuir para dar visibilidade às ações de promoção da igualdade racial em Alagoas e no Brasil, seja de iniciativa das entidades do movimento social negro ou de órgãos governamentais. 

A experiência tem mostrado a importância da democratização dos meios de comunicação, com foco nas mídias negras, para as políticas de combate ao racismo e promoção da igualdade racial. Neste sentido, é preciso que os governos federal, estaduais e municipais, bem como a iniciativa privada, invistam em projetos de comunicação voltados para a temática racial. 

É necessário que os veículos de comunicação em Alagoas abram espaço para a divulgação e discussão das questões raciais durante todo o ano, e não apenas nas datas simbólicas como 13 de maio e 20 de novembro, afinal, a luta por justiça e igualdade deve ser de toda a sociedade e não apenas dos segmentos populacionais atingidos pelo racismo e a desigualdade. Vale destacar, que nas resoluções das três conferências nacionais de promoção da igualdade racial (CONAPIR) realizadas pelo governo federal estão contidas propostas na área de comunicação. 

Além disso, o Estatuto da Igualdade Racial, marco legal sancionado em 2010, também trata do tema, o que respalda ações e investimentos na área. Iniciativa louvável, nesse sentido, aconteceu em junho deste ano, em São Paulo (capital), onde a Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial (SMPIR) abriu inscrições para o edital do “Prêmio Almerinda Farias Gama”, que teve como objetivo contemplar dez iniciativas ou atividades de comunicação que se destaquem na defesa dos direitos da população negra. Aliás, pra quem não conhece, Almerinda Farias Gama foi advogada, jornalista, política, feminista e sindicalista nascida em Maceió, em maio de 1899, que aos oito anos mudou-se para o Pará, considerada uma das primeiras mulheres afro-brasileiras a participar da política no Brasil. Uma bela e justa homenagem!


Fonte: Coluna Axé - 419ª edição – Jornal Tribuna Independente (29/11 a 05/12/16) / COJIRA-AL / Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com

domingo, 27 de novembro de 2016

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Protestos no 20 de novembro



A solenidade oficial de celebração do 20 de novembro – Dia Nacional  da Consciência Negra, ocorrida no último domingo, na Serra da Barriga foi marcada por protestos contra o governo federal.

Integrantes do Levante Popular da Juventude e de outros movimentos sociais portando faixas e com palavras de ordem de “Fora Temer” e “Golpistas e racistas não passarão”, protestaram contra a PEC 55, que bloqueia gastos e investimentos públicos e a reforma do ensino médio, ambas de autoria da atual gestão do governo federal. Os capoeiristas também marcaram presença na Serra com faixas denunciando o racismo institucional, o extermínio da juventude negra, a violência contra a mulher negra e o descumprimento do Estatuto da Igualdade Racial.

Mas o Dia da Consciência Negra não foi de protestos só em Alagoas. É importante registrar que também em outros pontos do Brasil, como em São Paulo, Salvador, Curitiba (PR) e Juiz de Fora (MG) entre outras localidades, o movimentos negro foi às ruas reivindicar a reforma da mídia para a democratização da comunicação; desmilitarização da polícia, o fim dos autos de resistência, e destinação de mais recursos para as políticas de inclusão social; implementação das leis antirracismo; direito de expressão das religiões de matriz africana. Além disso, os manifestantes protestaram contra o genocídio da juventude negra, contra o machismo e a violência contra a mulher negra. Lamentável que algumas autoridades tenham se exaltado nas críticas aos manifestantes atribuindo interesses políticos.

Os protestos legítimos ocorridos tanto na Serra da Barriga como em outros locais pelo Brasil afora, no dia dedicado a Zumbi dos Palmares, devem ser entendidos pelas autoridades incomodadas como sinal do grau de insatisfação que a cada dia cresce na sociedade brasileira, especialmente na classe trabalhadora e na população negra, que é maioria no Brasil e principal prejudicada com a reforma no ensino médio e com as medidas previstas na PEC 55. O objetivo é combater qualquer retrocesso às conquistas democráticas e ameaças aos direitos conquistados pela população negra nos últimos anos.



Parceria
Durante a cerimônia do 20 de novembro na Serra da Barriga, foi assinado um termo de cooperação entre a Fundação Cultural Palmares/Ministério da Cultura e a Universidade Estadual de Alagoas, respectivamente representados pelo presidente da FCP, Erivaldo Oliveira da Silva e o Vice Reitor Clébio Araújo (foto). Em 2017, a Uneal será a responsável pelo desenvolvimento sustentável do turismo e da cultura no Parque Memorial Quilombo dos Palmares e em seu entorno. Tem como incumbência dinamizar e contribuir para o desenvolvimento cultural e formação, envolvendo inicialmente as redes escolares estaduais e municipais com visitas sistemáticas à serra; além de exposições, oficinas, cursos, apresentações de grupos afros e feira cultural dos quilombolas. Eis uma grande notícia!


Fonte: Coluna Axé – 418ª edição – Jornal Tribuna Independente (22 a 28/11/16) / COJIRA-AL / Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Novembro Afro

Chegou o mês da consciência negra e com ele vem a efervescência cultural dos diversos segmentos afros em todo território nacional.

A data 20 de Novembro foi escolhida simbolicamente para marcar o dia da morte de Zumbi dos Palmares, um dos maiores líderes do Quilombo dos Palmares: o símbolo de resistência e luta contra a escravidão no Brasil. Durante todo o mês, serão realizadas palestras, debates em escolas, seminários, oficinas temáticas, apresentações artísticas, lançamentos de livros, passeios étnicos em comunidades quilombolas, museus afros e na Serra da Barriga (União dos Palmares/AL) – Patrimônio Nacional, que foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1986.

No Estado de Alagoas, as atividades ocorrerão na capital Maceió e na cidade União dos Palmares em vários pontos simultaneamente. A Fundação Cultural Palmares e o Ministério da Cultura em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de Alagoas (Secult) estão promovendo uma ampla programação sócio-cultural em parceria com órgãos públicos, instituições privadas e grupos do Movimento Negro.

Em Maceió, encontram-se as exposições “Lélia Gonzalez: o feminismo negro no palco da história” das 8h30 às 17h no Teatro Linha Mascarenhas e “Raízes, História da Enfermagem Brasileira, Pretas, Campanha Filhos do Brasil” no Parque Shopping Maceió. Ontem, na Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos foram apresentados cinco romances afro-brasileiros contemplados no Prêmio Oliveira Silveira; e a Secult em parceria com a Seduc oficializou o programa “Cultura Ambundu Alagoas”. O Seminário Construção de Indicadores para Salvaguarda da Capoeira de Alagoas ocorrerá hoje(17) a partir das 10h, na Superintendência do Iphan (Rua Sá Albuquerque, 117, Jaraguá, Maceió).

De 17 a 20 de novembro, às 19h, o estacionamento do Parque Shopping será o palco de apresentações culturais e do Festival Quilombola – Conheça os sabores dos quilombos. Também terá o Cine Palmares no Quilombo – Sessão Infantil – no dia 18, na comunidade remanescente de quilombo Muquém localizada em União dos Palmares. Nos dias 23 a 25 de novembro, serão realizadas oficinas de culinária afro-ameríndia, em parceria com o Centro Universitário Maurício de Nassau (Uninassau), e contação de histórias com o tema “Encantando a primeira infância, despertando para os direitos humanos”.

A celebração do Dia de Zumbi e do Dia Nacional da Consciência Negra (20) será das 7 às 17h, no Parque Memorial Quilombo dos Palmares localizado no platô da Serra da Barriga; e o ato institucional iniciará às 10h. Na Praça Brasiliano Sarmento, no centro da cidade de União dos Palmares, terá apresentação cultural das 18 às 22h20, com: “Viva o Reggae e Rock” e “Viva o Samba e MPB”; e o espetáculo “Projeção Mapeada – Narrativas em Movimento” às 20h, na Casa Jorge de Lima. De 23 a 25, na Uneal Arapiraca terá o XI Seminário Negritude e Resistência; e no dia 29, o Seminário Estadual Consciência Negra e Diversidade no Palácio República dos Palmares.

Todos esses eventos além de representarem a diversidade afrocultural; exaltam a luta por respeito, igualdade e justiça social; e promovem a reflexão sobre o pertencimento étnico. Axé!


Fonte: Coluna Axé – 417ª edição – Jornal Tribuna Independente (15 a 21/11/16) / COJIRA-AL / Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com