sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Curtindo o Rio de Janeiro

Pela primeira vez, estive no Rio Janeiro e pude realizar o sonho de conhecer o Corcovado e ver bem de perto o Cristo Redentor. Também tive a oportunidade de ir no Jardim Botânico, Lapa, praia de Copacabana, Arpoador, Museu do Negro e a Estudantina. Foi muito bom, curtir um pouquinho dessa cidade que é um verdadeiro cartão postal. Confira algumas fotos:
































quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Reflexão do dia

Precisando rever posturas ... para encarar uma nova vida.


Imagem do Hall da Fama Coisa Velha - https://www.facebook.com/CoisaVelha

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Rumo a Conapir

III Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Coepir) ocorreu nos dias 19 e 20 de agosto, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, localizado no bairro do Jaraguá em Maceió. 

Foram aprofundados os temas: “Estratégias para o Desenvolvimento e o Enfrentamento ao Racismo”, com o Profº Drº Edson Bezerra; “Políticas de Igualdade Racial no Estado e no Brasil: avanços e desafios”, Profª. Drª. Clara Suassuna; “Arranjos Institucionais para assegurar a sustentabilidade das Políticas de Igualdade Racial – SINAPIR (órgãos de promoção da igualdade racial, fórum de gestores, conselhos e ouvidorias)”, Felipe Freitas; e “Participação política e controle social: igualdade racial nos espaços de decisão; mecanismos de participação da sociedade civil no monitoramento das políticas de igualdade racial”, Profª Angela Brito. 

Após intensos debates foram aprovadas cerca de 40 propostas, destacando-se: Criação de um Fundo Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial com 10% dos recursos do Pré-Sal; Exigir dos meios de comunicação públicos e recomendar as rádios comunitárias que possam tratar e dar ênfase maior as questões étnicorraciais com propagandas educativas, conscientizando a população a cerca do Estatuto da Igualdade Racial; Aprovar de imediato o projeto de lei que regulamenta a profissão de instrutor de capoeira; Criar lei federal que torne obrigatória a criação e formação dos Conselhos Municipais da Igualdade Racial; Criação de Secretarias municipais e estaduais da promoção da igualdade racial, com recursos próprios definidos no orçamento; Criação de observatórios para o monitoramento das ações de violência policial e racismo institucional contra a população negra, indígena e cigana; Efetivação da Lei 10.63913 garantindo a implementação das atividades étnico-culturais dentro das escolas através do projeto político pedagógico: capoeira, coco de roda, maracatu, afoxé, maculelê, samba de roda, dança afro, etc; Ampliar a implantação do PSF nas comunidades quilombolas, indígenas e ciganas; dentre outras. 

Já a votação para a escolha de delegados/delegadas foi tumultuada e definida nos próprios segmentos, serão 28 integrantes na delegação alagoana – representantes do poder público e sociedade civil (liderança cigana, quilombola, religiosos de matriz africana, movimento negro, capoeira/cultura) – que estarão na III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Conapir) com o tema: “Democracia e Desenvolvimento sem Racismo: por um Brasil Afirmativo” no período de 5 a 7 de novembro, em Brasília. Que as ideias saiam do papel, para fortalecer a luta por justiça social. Axé!



Divulgação
Coepir
Um dos momentos mais importantes na 3ª Coepir foi a conferência magna proferida pelo Secretário Executivo da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) – Giovanni Benigno Harvey. Ele fez um balanço sócio-político sobre a luta por universalização dos direitos iniciada em 1988, e, destacou que “se não fossem adotadas as políticas de igualdade racial no Brasil, somente em 2520 as desigualdades seriam superadas”. Também informou que nas próximas décadas, será preciso a mudança de política dos gestores e as políticas universais terão que ser pensadas em atender as mulheres, negros e jovens; além disso, estima-se que a população negra/pobre alcance 65 a 70% em 2030, diante de dados coletados pelo IBGE e o IPEA.


Fonte: Coluna Axé - 264ª edição – Jornal Tribuna Independente (27/08 a 02/09/2013)
Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com

domingo, 25 de agosto de 2013

Participação no XIX ENJAI

O XIX Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa com o tema: "Assessoria de Imprensa nos grandes eventos e o interesse público do Jornalismo". A delegação alagoana foi composta pel@s jornalistas: Valdice Gomes (Presidenta do Sindjornal), Ricardo Moresi (integrante da Comissão Estadual de Jornalistas em Assessoria de Imprensa/CEJAI), Emanuelle Vanderlei, Helciane Angélica Santos Pereira; além da acadêmica de jornalismo, Déborah Cotta Sacramento (estudante do CESMAC). Confira algumas imagens:



















sábado, 24 de agosto de 2013

Trilha sonora - fim de semana (24 e 25.08.13)

Aquele abraço Rio de Janeiro ... foi muito bom conhecer um pouquinho dessa cidade maravilhosa.

 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O teatro enegreceu

"Mostra a sua beleza negra, beleza negra vem mostrar. Mostra todo o seu gingado, deixe o povo enfeitiçado, com o seu sorriso e seu bailado. Mostra a sua beleza negra, beleza negra vem mostrar...” – foi assim que começou o show: “Agô Yabas pedem passagem”. 

O palco do Teatro Deodoro localizado na cidade de Maceió, é um verdadeiro templo das artes no Estado de Alagoas e na noite de 14 de agosto de 2013, foi mais um momento histórico, O afoxé Oju Omim Omorewá comemorou em grande estilo os seus dez anos de existência, participando da 14ª edição do projeto “Teatro é o maior barato”, e demonstrando mais uma ação para a valorização da cultura afro e respeito à religião de matriz africana. 

Foi bonito ver e sentir a energia transmitida através dos passos, toques e cânticos que contam a história do povo afrobrasileiro e estimulam a autoestima; também teve um exuberante figurino e painéis ao fundo. A infraestrutura foi garantida com a Secretaria Estadual da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos; além do apoio da casa de axé Omi Omo Posu Betá. 

Na programação, teve ainda o 1º Concurso de Beleza Negra Omorewá com oito participantes, sendo duas convidadas que vieram de Pernambuco. Elas mostraram o seu encanto e talento, além de representar os seus grupos, como: Odô Iya, Afoxé Povo de Exu, Banda Afro Mandela, e ainda teve capoeirista, estudante de dança na Ufal e de outros segmentos. 

Ao todo foram 15 inscritas e 10 selecionadas, porém, os organizadores também sofreram com a discriminação e intolerância religiosa: “Aqui em Maceió temos belas jovens, mas por incrível que pareça nos deparamos com o preconceito que tanto lutamos. Algumas candidatas desistiram porque tinha que dançar e algumas pensavam que era um desfile de moda. E outras, os parentes não permitiram porque achavam que não era um concurso sério e era coisa de macumba” declarou Nany Moreno. E a grande vencedora do Concurso Omorewá foi a menina-mulher Yara Fabiana – integrante do Afoxé Odo Iyá (Núcleo de Cultura Afro-Brasileira Iyá Ogum-Té) – sendo premiada com um buquê de flores e uma escultura de uma negra produzida pela escultora Vânia Oliveira. Vida longa a rainha, que ela continue disseminando a nossa cultura que estar cada vez mais forte e bem viva! Axé!

Show
Nesse espetáculo, foi o público quem recebeu o presente. Parabéns a Nany Moreno, pela organização e por manter esse sorriso mesmo diante das dificuldades na luta diária por valorização sócio-cultural. Obrigada a grande dama dos terreiros de Alagoas, Mãe Mirian, por abrir as portas da sua casa de axé para a realização dos ensaios. Aos percussionistas, cantores e dançarinos envolvidos, desejamos que os talentos sejam propagados constantemente. E para às afro-belas do concurso, só esperamos que permaneçam esbanjando o orgulho de sua negritude. Enfim, muitos aplausos! Confira o registro fotográfico completo do evento, na página da Cojira Alagoas no Google+



Fonte: Coluna Axé - 263ª edição – Jornal Tribuna Independente (20 a 26/08/2013) 
Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com
Fotos: Helciane Angélica